Deputado Capitão Nelson participa de audiência pública em São Gonçalo, sobre o tema, segurança pública de São Gonçalo.

Hoje (08/11) participei da Audiência Pública realizada pelo colega Vereador Maciel, na Câmera de Vereadores de São Gonçalo, que por 14 anos foi minha casa. Tenho muito orgulho de ter servido ao município como Vereador e hoje, como Deputado Estadual, retorno a essa casa como convidado para contribuir com minha experiência na área da segurança pública, tema dessa audiência. 

Quero parabenizar a iniciativa do Vereador Maciel que reuniu diversas autoridades para discutir o tema, como: Delegados de delegacias de São Gonçalo, Vereadores da cidade, colegas Deputados, Representantes do Ministério Público, representantes da sociedade civil e muitos outros. Iniciativas como essa devem ser estimuladas para que possamos juntar forças para buscar soluções para resolver o grave problema que se tornou a insegurança em nossa cidade. 

Na ocasião pude contribuir com informações e dados da segurança pública em São Gonçalo, como a redução significativa de todos os índices de criminalidade, de 10 a 30%, graças ao empenho do novo comandante do 7°Batalhão, Ten. Cel. Tramontine, que em apenas 3 meses, com toda dificuldade de um baixo efetivo, blindados sucateados e muitos criminosos nas ruas, conseguiu esse resultado. Apoiei e apoio o batalhão, consegui contribuir com pedidos ao Governador e ao Secretário da Polícia Militar que enviou 100 homens da última turma formada em julho, viaturas, 80 fuzis e munições e agora serão enviados mais 50 policiais. Nas rodovias estaduais, que cortam a cidade e na BR101 também tiveram avanços, com as equipes da RECOM e o BPRV, além do uso do RAS (regime de adesão ao serviço) que usa polícias em dias de folga para reforçar a segurança que será ampliada já no próximo mês. 

Ainda falta muito para que os índices cheguem em patamares aceitáveis, mas esse problema não começou agora, vamos continuar buscando recursos para vencer essa batalha e deixar São Gonçalo uma cidade mais tranquila, como no passado. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *